domingo, 31 de julho de 2011

O Tempo Linguístico

O que é o tempo?
A definição de tempo desafia os sábios “há muito tempo”.
Para a Física o tempo é uma grandeza fundamental, sobre a qual não cabe definição.
O tempo, segundo a Física, só pode ser compreendido em relação ao espaço e ao movimento, pois ele é relativo (isto é, depende do ponto de vista de quem o vivencia).
Mas... O que veremos aqui e neste momento é o ponto de vista linguístico.
O mini dicionário do Aurélio diz:

Tempo: sm 1.A sucessão dos anos, dias, horas, etc, que envolve a noção de presente, passado e futuro. 2. Momento ou ocasião apropriada para que uma coisa se realize.  Não teve tempo para visitar-me 3. Época, ocasião É tempo de Jaboticaba 4. As condições meteorológicas. Tempo bom.
Gramática: 5.Flexão indicativa do momento a que se refere a ação ou o estado verbal.
Música:  Cada uma das partes, em andamentos diferentes, em que se dividem certas peças, como por exemplo a sonata.
·        Nesse meio tempo. Nesse ínterim; entrementes.

Veja o que Eclesiastes 3 diz sobre TEMPO:
Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu:
Há tempo de nascer, e tempo de morrer: tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou [...] Tempo de chorar e tempo de rir [...]Tempo de buscar e tempo de perder[...] Tempo de amar, e tempo de aborrecer: tempo de guerra, e tempo de paz.

O tempo linguístico
O tempo linguístico está relacionado com a fala, pois ele possui seu centro no presente da instância da fala.
QUAIS AS PALAVRAS QUE EXPRESSAM TEMPO NUMA NARRATIVA?
ü Preposições
ü Locuções prepositivas
ü Conjunções
ü Locuções conjuntivas
ü advérbios
ü Locuções adverbiais
ü Verbos
ü Locuções verbais

Exemplos:
a) “Porque este Deus é o nosso Deus para sempre;/ ele será nosso guia até à morte.”Salmos 48.14
b) “...eu sei/ que o meu Redentor vive/ e que por fim se levantará sobre a terra.” Jó 19.25
c)” Antes que te formasses no ventre/ te conheci, e /antes que saísses da madre/ te santifiquei:/ às nações te dei por profeta.”                                                                                                                                                          Jeremias 1.5
d)”Se ouvirdes Hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações...” Hebreus 3.7-8
e) “Quando eu era menino,/ falava como menino,/ sentia como menino, /discorria como menino, /mas, /logo que cheguei a ser homem,/ acabei com as coisas de menino.” I Coríntios 13.11
f) “Não ensinará alguém mais a seu próximo nem alguém a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor: porque todos me conhecerão, desde o mais pequeno deles até ao maior, diz o Senhor; porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados.” Jeremias 31.34
Temporalidade
A temporalidade define a posição na linha do tempo, do fato expresso pela oração base. Essa linha pode ser segmentada em três intervalos:
1.   ANTERIOR (antes que etc.)
2.   CONCOMITANTE ( enquanto - quando)
3.   POSTERIOR (depois que, logo que, assim que etc.)
VEJA:
a) Edna lavava as fraudas / enquanto o bebê dormia.
          (A e B são concomitantes)
b) Mônica lavava as roupas / depois que todos saiam.
          (A é posterior a B)
c) Ester preparava o almoço/ antes que todos chegassem.
          (A é anterior a B)
Outros exemplos:
a) Desejei muito comer convosco esta páscoa,/ antes que padeça, /porque vos digo/ que não a comerei mais/ até que ela se cumpra no reino de Deus.” Lucas 22.15-16 – tempo anterior – tempo limite
b) Buscai ao Senhor/ enquanto se pode achar, /invocai-o/ enquanto está perto.” Isaías 55.6-concomitante
c)”Poupa-me, até que tome alento, antes que me vá, e não seja mais.” Salmos 39.13 - tempo limite – tempo anterior
d) Depois disto viveu Jó cento e quarenta anos; e viu a seus filhos, e aos filhos de seus filhos, até a quarta geração”. Jó 42.16 – tempo posterior - tempo limite
e) “Então entrou em mim o Espírito quando falava comigo, e me pôs em pé, e ouvi o que me falava.” Ezequiel 2.2 concomitante
f) “Era Zedequias da idade de vinte anos quando começou a reinar... Jeremias 52.1- tempo inicial

domingo, 24 de julho de 2011

Ser x Estar

ESTOU FRACO, MAS SOU FORTE

b) Ela ESTAVA enferma, mas ficou sã  
“ Ora, levantando-se Jesus da Sinagoga, entrou na casa de Simão. E a sogra de Simão estava enferma com muita febre, e rogaram-lhe por ela.” Lc 4.38

c) Deus É com Davi, e não ESTAVA com Golias
   “Disse mais Davi: o Senhor me livrou da mão do leão, e da do urso; ele me livrará da mão deste filisteu. Então disse Saul a Davi: Vai-te embora, e o Senhor seja contigo.” I Sm 17.37”.

d) ESTOU fraco, mas SOU forte
   “...sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor a Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte”. II Co 12.10
O APÓSTOLO PAULO sabe que “O seu Redentor é forte, o Senhor dos Exércitos é o seu nome.” Jr 50.34. Por isso ele afirma estas coisas, como diz em Fp 4.12: “ Posso todas as  coisas naquele que me fortalece.”

e) O Senhor É contigo
      O Senhor apareceu a Gideão e lhe disse:
   “ O Senhor É contigo, varão valoroso”. Juízes 6.12

      O anjo Gabriel disse a Maria:
   “ Salve, agraciada, O Senhor É contigo”.  Lucas 1.28      

      Deus diz para nós:
   “ Não temas, porque EU SOU contigo; não te assombres, porque EU SOU teu Deus: eu te esforço e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.”   Isaías 41.10

domingo, 17 de julho de 2011

Coesão e coerência: parte II (elipse - zeugma)

Para entender COESÃO e COERÊNCIA TEXTUAL é preciso compreender conceitos como elipse, sônimos, conectivos; e dominar, especialmente, o emprego dos pronomes.

ELIPSE: Consiste na omissão de um termo [ou termos] que, no entanto,
pode(m) ser facilmente identificado(s):
            
ELIPSE DO SUJEITO: Jo 21.14,15,17
           JESUS PERGUNTOU PELA 1ª VEZ:
           __Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes?
           PEDRO RESPONDEU:
           __ Sim, Senhor, tu sabes que [...] te amo.
             JESUS PERGUNTOU 2ª VEZ:
           __Simão, filho de Jonas, amas-me?
           __ Sim, Senhor, tu sabes que [...] te amo.
             JESUS PERGUNTOU 3ª VEZ:
           __Simão, filho de Jonas, amas-me?
           __ Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que EU te amo
                         

ZEUGMA: É tipo de elipse que consiste na ommissão de um ou mais termos anteriormente mencionados.
"Eu sou o Deus d'Abraão, o Deus d'Isaque e o Deus de Jacó. Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas [é Deus] dos vivos."    [ZEUGMA SIMPLES]
 "O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente:
O último Adão [se fez]em espírito vivificante." 
I Co 15.45  [ZEUGMA COMPLEXA]
Respondam pelos comentários.
  

domingo, 10 de julho de 2011

Para começar...vamos falar sobre coesão textual

Nesta primeira postagem do blog, abordaremos coesão e coerência textual, tão presentes no contexto bíblico.

Na construção do texto o autor utiliza uma série de palavras e mecanismos gramaticais, a fim de desenvolver uma sequência argumentativa; pois um texto coeso e coerente apresenta um elo linguístico que os mantêm unidos e ordenados.

Há dois tipos principais de coesão:

O primeiro: COESÃO ENDOFÓRICA: É a coesão cuja referência está no próprio texto. Como se percebe em:  "Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá: nunca permitirá que o justo seja abalado." Salmo 55.22 (O termo a que se refere o pronome ELE, é O SENHOR)

O segundo é COESÃO EXOFÓRICA: é a coesão cuja referência está fora do universo textual. O que pode ser exemplificado com Atos 8.30-35 (aqui resumido) e Isaías 53.7.

Filipe se aproximou do eunuco de Candace, rainha da Etiópia, o qual estava lendo  o capítulo 53 de Isaías, em especial o versículo 7. Então Filipe lhe perguntou: "Entendes o que lês? O eunuco lhe respondeu: "Como poderei entender se alguém não me ensinar. Rogo-te - disse o eunuco - de quem diz isso o profeta? de si mesmo, ou dalgum outro?" Então Filipe, abrindo a sua boca e começando nesta escritura [o livro do profeta Isaías), lhe anunciou a Jesus.

Veja: o texto que o eunuco estava lendo era este: "Ele foi oprimido, mas não abriu a sua boca: como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores ele não abriu a sua boca". Este homem não conseguiu perceber no texto lido qual era o termo de referência para o pronome ELE. Isso ocorreu porque o termo de referência não estava naquele universo textual. Estava fora dele. Por isso a necessidade de que Filipe o fizesse entender através de outros textos que se encontravam no novo testamento.

Na imagem postada acima está escrito o texto: "Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertárá." João 8.32. Encontra-se neste versículo um tipo especial de coesão: Repetição do mesmo item lexical. Este em lugar do pronome ELA. Ao utilizar "a verdade vos libertará", repetiu-se o mesmo item lexical (A VERDADE),  porque este termo faz referência a um ELE, que é JESUS CRISTO, quando diz: "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim." João 14.6.  Sendo este um outro texto, que mantém um elo significativo com João 8.32.

Quando conheci a Bíblia, deparei-me com uma linguagem única e especial. E a partir de então a graduação em Letras atingiu seu real sentido para minha vida. Os termos Língua Portuguesa e Bíblia tornaram-se sinônimos para mim. As aulas e seu conteúdo programático tinham agora textos inigualáveis. Não me faltam exemplos. Se eu quero texto na voz passiva sintética, ou na voz passiva analítica, por exemplo, a Bíblia já os tem prontos: Em Lucas 7.22:  “Jesus disse-lhes: Ide, e anunciai a João o que  tendes visto e ouvido: que os cegos veem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, e aos pobres anuncia-se o evangelho.”Aqui voz passiva sintética. Porém, se o que eu quero é voz passiva analítica, encontro-a em Mateus 11.5: “...Os cegos veem,e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados; e aos pobres é anunciado o evangelho.” Sendo esta a mesma passagem bíblica: Jesus e os discípulos de João Batista.

Tenho analisado muitos textos no decorrer dos anos, mas nenhum deles se compara aos textos da Bíblia. No entanto algumas pessoas se opõem ao seu conteúdo e questionam-me: Por que os textos da Bíblia? Pois para essas pessoas Bíblia e Religião é que são termos sinônimos. Não para mim. Para mim, esses textos são a excelência da linguagem literária. Não poderia viver sem eles. Os textos da Bíblia iluminam meu magistério, tornam-no a missão da minha vida.

Por tudo isso e muito mais (que revelarei no decorrer de nossa convivência) é que resolvi criar o blog PORTUGUÊS Através da Bíblia.

Este com atualizações semanais; trazendo conteúdo gramatical de Língua Portuguesa com textos bíblicos.

Espero por seus comentários e sugestões.