sábado, 21 de julho de 2012

sujeito simples e claro



Moisés perguntou a Deus qual o nome que ele deveria anunciar aos israelitas no Egito: Deus prontamente lhe respondeu: “Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós”(Êx 3.14). Moisés prontamente obedeceu. Eu posso até imaginar a cena: Moisés se aproxima deles com seu cajado na mão. E vai logo dizendo: Irmãos, o EU SOU me enviou a vós. Ele vai libertar vocês. Não temam. Eles, então, maravilhados: Como assim? O EU SOU?! Ah! O Todo-poderoso, O Senhor dos Exércitos, O Deus forte! Não há o que temer. Estamos bem protegidos. Vamos em frente. Nele nós podemos confiar.
         Mas as provas estão só começando: Uma praga atrás da outra. E Faraó nada de libertar o povo. Ah, EU SOU, onde estás? Queremos fugir deste lugar. Fugir?! Não. Não trabalho desta maneira. Vocês sairão livres. Resgatados com mãos fortes, pois EU SOU.
EU SOU o caminho, e a verdade e a vida... (Jo 14.6), EU SOU a porta...(Jo 10.9), EU SOU a luz do mundo...(Jo 8.12), EU SOU a videira verdadeira... (Jo 15.1), EU SOU o pão vivo que desceu do céu, (Jo 6.51), para alimentar a multidão que me segue, e eles serão alimentados para sempre.
EU SOU, quem é que é o caminho, e a verdade, e a vida? EU SOU. Quem é que é a porta? EU SOU. Quem é que é o pão vivo, que desceu do céu? EU SOU.
Ah! É tão fácil descobrir o sujeito destas orações. É só perguntar ao VERBO: QUEM É QUE É? EU SOU, e não há outro. Não há outro Deus além de mim, que trabalhe para aquele que nele espera..... (Is 64.4) Espere por mim. Confie em mim. Conte comigo, porque EU SOU DEUS.