quinta-feira, 18 de abril de 2013

VEIO PARA O QUE ERA SEU, MAS OS SEUS NÃO O RECEBERAM

                           Veio para o que era seu, MAS os seus não o receberam

[Jesus] estava no mundo, e [soma, adição] o mundo foi feito por ele, e [=mas, porém, contudo, todavia, entretanto (em oposição)] o mundo não o conheceu.

Veio para o que era seu, e[=mas, porém, contudo, todavia, entretanto] os seus não o receberam.

MAS, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que creem no seu nome.

            O mundo,que deveria conhecer a Jesus, porque é obra de suas mãos, não o conheceu. Ele veio para os seus, só que em oposição a isso, aqueles que lhe pertenciam não o receberam. “Ah, se tu conhecesses, ao menos neste dia, o [=aquele] que a tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos.” Jesus disse isso chorando, lamentando essa rejeição, porque os seus escolhidos não perceberam que ele veio visitá-los naquele tempo (Lucas 19.41-42): ”Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das suas asas, e tu não quiseste!...” (Mateus 23.37)
            Jerusalém, ele veio para vocês, e ( este  E com sentido de adversidade,) em oposição a acolhida, vocês não o receberam. O correto seria: Ele veio para aqueles que eram seus, e os seus o receberam. Aí sim, o E seria uma soma (uma encadeamento de ações): ele vindo e os seus o recebendo.
            Entretanto (contrariamente ao que se esperava) os seus não o receberam.
            Todavia, algo extraordinário acontece: Todos aqueles que o receberam, mesmo não sendo o povo escolhido (a nação de Israel), ganham um poder inusitado. Sabe que poder é este? O poder de serem feitos (de sofrer a gloriosa ação) de se tornarem filhos de Deus. E quem recebe este poder são todos aqueles que creem no seu nome. Quem quer este poder? Nós podemos, podemos sim. Podemos receber o maravilhoso poder de sermos feitos filhos de Deus. Aleluia!